NOTÍCIAS

Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e Aché lançam Campanha Nacional de Conscientização contra o Herpes Simples

30 de novembro de 2016

A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) inicia em novembro a Campanha Nacional de Conscientização sobre Tratamento e Prevenção do Herpes Simples, iniciativa realizada com o apoio do Aché Laboratórios. A proposta é sensibilizar médicos e redes de farmácias do País sobre a importância da existência do vírus em 90% das pessoas no mundo, levando material educativo de forma continuada para este público. A manifestação da doença ou a crise do herpes simples afeta 40% dos indivíduos e, desse total, 10% sofrem com até seis episódios de crise por ano – períodos em que lesões surgem principalmente ao redor da boca e na região genital, causando dor e importante constrangimento social. É durante as crises que o portador tem mais chance de transmitir a doença.

“Diante da alta incidência, da grande possibilidade de contágio e distúrbios causados pelo herpes simples, somado ao grande desafio de educação da população sobre o tema, a Sociedade Brasileira de Dermatologia decidiu lançar esta campanha em todo território nacional, que contará com o apoio de todos os médicos dermatologistas e redes de farmácias. Temos certeza que todos aqueles que trabalham em prol da saúde e bem-estar da população têm a consciência da importância da iniciativa para melhorar ainda mais a saúde dos brasileiros”, afirma Gabriel Gontijo, presidente da SBD.

Como apoiador, o Aché fará ações informativas por meio de visitas a médicos, anúncios em revistas médicas, além de comunicar a campanha para toda a base de seu programa de relacionamento Cuidados pela Vida (CPV), com mais de 5,5 milhões de pessoas.

Tratamento e prevenção

O Herpes Simples é uma doença infectocontagiosa causada pelo vírus herpes simples (HSV-1 e HSV-2). Se não for tratado adequadamente, o herpes simples pode trazer complicações ao organismo. “A doença não tem cura, mas o tratamento e a prevenção adequada poderão diminuir a duração e o número das crises. Além dos medicamentos antivirais que inibem a replicação do vírus, temos possibilidade de instruir a população no sentido de identificar os fatores desencadeantes e prevenir as crises”, explica Gontijo.

Tipos de herpes

Existem dois tipos de vírus de herpes simples (HSV), o tipo 1 e o 2. Embora ambos tipos possam atingir tanto a área genital como demais áreas do corpo, o HSV-1 é o agente responsável pela maioria dos casos de herpes simples labial (região ao redor da boca), enquanto o HSV-2 é o principal causador de herpes simples genital (área ao redor da vulva, do pênis ou do ânus).

A primeira infecção pelo herpes labial é a mais grave e ocorre mais frequentemente na infância. Mas pode acontecer em qualquer fase da vida, por meio do contato com a saliva ou outras secreções contaminadas. As formas mais comuns de contágio são por meio do contato físico, beijo, sexo oral, gotinhas de saliva liberadas ao falar e objetos contaminados (compartilhamento de copos, batons, canudinhos, picolés, cigarros, etc). Geralmente, a manifestação da crise inicia-se com coceira e ardor no local em que surgirão as lesões. São mais comuns nos lábios, porém também ocorrem no nariz, no queixo, na gengiva e no céu da boca.

O herpes simples genital é uma Doença Sexualmente Transmissível (DST), onde 80% a 90% dos casos são causados pelo HSV-2. No entanto, o contágio também pode ocorrer por meio do HSV-1, sendo que a primeira infecção ocorre normalmente na puberdade, com o início da vida sexual. Na crise, seu sintoma tipicamente aparece como uma ou mais vesículas sobre ou em torno dos genitais e do reto. As vesículas rompem-se e deixam feridas que podem levar de duas a quatro semanas para cicatrizar. 

Alguns fatores que desencadeiam o herpes simples são: exposição intensa ao sol, baixa imunidade do organismo, fadiga mental (estresse, ansiedade, tensão pré-menstrual), fadiga física, alterações hormonais no período menstrual, trauma local, e quadros de febre.

  • SIGA O ACHÉ NAS REDES SOCIAIS:

X
  • ATUALIZAÇÃO DA POLÍTICA DE PRIVACIDADE

O Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A se preocupa com a sua privacidade e quer que você esteja familiarizado com a forma como coletamos, utilizamos e divulgamos suas informações.

COLETA DE INFORMAÇÕES:

Alguns dados pessoais podem ser solicitados para que você se beneficie de nossos serviços ou programas. Sempre que obrigatório por Lei, seu consentimento será solicitado. Você também poderá exercer seus direitos em relação a seus dados por meio do nosso Canal de Comunicação.

SEGURANÇA:

Empregamos os melhores esforços para respeitar e proteger seus dados pessoais contra perda, roubo, vazamento ou qualquer modalidade de uso indevido, bem como contra acesso não autorizado, divulgação, alteração e destruição.

CANAL DE COMUNICAÇÃO:

Para assuntos exclusivamente relacionados à privacidade de dados, clique aqui.

Para outros assuntos, clique aqui.

Política de privacidade, clique aqui.