NOTÍCIAS

Descoberta pode reverter febre hemorrágica causada pela dengue

27 de novembro de 2008

Ataque de vírus a molécula causa os sintomas da doença.
Ao impedi-lo, cientistas conseguiram controlar a inflamação.
 

MARÍLIA JUSTE – 21/06/2008

Uma nova técnica pode conseguir amenizar os sintomas da dengue, reduzir a febre e conter a hemorragia sem afetar a resposta do sistema de defesa do organismo à infecção. A descoberta foi divulgada na edição desta semana da publicação científica “Nature” e, se tudo der certo, deve começar a ser testada em seres humanos dentro de três a cinco anos.

A dengue não é uma dor de cabeça exclusiva do Brasil. A doença é a infecção transmitida por artrópodes (o grupo que inclui insetos, centopéias e aracnídeos, entre outros) mais comum entre humanos. Ao todo, ela atinge 50 milhões de pessoas em mais de cem países de clima tropical todos os anos. E com o aquecimento global, a expectativa é que os casos aumentem em todo o mundo.

O tratamento da dengue é sintomático. A única coisa a fazer é esperar que a infecção se resolva sozinha. O que parece simples, mas não é, porque os primeiros sinais do vírus são muito parecidos com os de uma gripe. O gráfico abaixo mostra um pouco mais sobre a doença.

Embora os cientistas ainda estejam longe de uma vacina efetiva, a descoberta feita pelo grupo da Universidade Nacional Yan-Ming, em Taipei, Taiwan, promete. A equipe de Shie-Liang Hsieh identificou uma maneira de reverter a febre hemorrágica causada pela doença.

A molécula, chamada de CLEC5A, é um alvo dos diferentes vírus da dengue. É a interação com ela que faz a doença desencadear o processo da febre. Ao bloquear essa ação, os cientistas conseguiram evitar a inflamação sem atrapalhar em nada a resposta do organismo à doença. E melhor ainda: só com essa intervenção, 50% das cobaias se livraram completamente do vírus.

Hsieh acredita que a descoberta pode ajudar também pacientes com outras formas de dengue que não a hemorrágica. “Ela é capaz de reduzir os sintomas da infecção por dengue como um todo. A doença geralmente causa dores intensas devido à inflamação e um anticorpo anti-CLEC5A pode reduzir o processo inflamatório e aliviar o problema”, afirmou ele ao G1.

“É a primera vez que se levanta a possibilidade de controlar a inflamação sem atenuar a imunidade”, explica Hsieh, que levanta ainda mais um benefício da novidade. “Baseado na semelhança de todos esses vírus [da dengue e de outras doenças, como a febre do Nilo Ocidental e a encefalite japonesa], esse anticorpo deve poder ser aplicado contra outros exemplares dessa família também”, afirmou.

Por enquanto, os resultados só foram obtidos em camundongos, e ainda faltam muitos passos antes que possam ocorrer testes em seres humanos. Segundo Hsieh, deve levar de três a cinco anos até que esses testes sejam feitos. Só depois disso, se a efetividade e a segurança da terapia forem comprovadas, a técnica pode virar um novo tratamento a ser seguido pelos pacientes.

  • SIGA O ACHÉ:

X
  • Alert
  • ATUALIZAÇÃO DA POLÍTICA DE PRIVACIDADE

O Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A se preocupa com a sua privacidade e quer que você esteja familiarizado com a forma como coletamos, utilizamos e divulgamos suas informações.

COLETA DE INFORMAÇÕES:

Alguns dados pessoais podem ser solicitados para que você se beneficie de nossos serviços ou programas. Sempre que obrigatório por Lei, seu consentimento será solicitado. Você também poderá exercer seus direitos em relação a seus dados por meio do nosso Canal de Comunicação.

SEGURANÇA:

Empregamos os melhores esforços para respeitar e proteger seus dados pessoais contra perda, roubo, vazamento ou qualquer modalidade de uso indevido, bem como contra acesso não autorizado, divulgação, alteração e destruição.

CANAL DE COMUNICAÇÃO:

Para assuntos exclusivamente relacionados à privacidade de dados, clique aqui.

Para outros assuntos, clique aqui.

Política de privacidade, clique aqui.