Os benefícios do ômega 3 durante a gestação

 

8 de agosto de 2017 - A gestação é um período tão marcante na vida da mulher que uma data foi criada especialmente para celebrar essa fase: 15 de Agosto – Dia da Gestante. Por isso, é sempre importante destacar os cuidados que se deve ter tanto em benefício da saúde da mamãe como do bebê, dentre eles o acompanhamento médico, a realização de exames e a alimentação equilibrada e nutritiva.

Um dos nutrientes importantes é o ômega 3, a chamada ’gordura do bem’, presente em grande quantidade nos peixes de águas frias, como salmão, sardinha, bacalhau e atum, e moluscos.

Importante para a saúde, tem um potencial benéfico para o crescimento e funcionamento do cérebro, bem como para a formação dos neurônios. “Essas células nervosas são protegidas por uma capa de gordura que ajuda na comunicação entre elas. Uma das composições dessa proteção é o DHA, substância que constitui o ômega 3 e auxilia no desenvolvimento do sistema nervoso central e formação e fortalecimento da retina do bebê”, explica a gerente médica do Aché Laboratórios, Wanessa Scala.

Por isso, ao incluir na dieta alimentos ricos em ômega 3, a gestante proporciona benefícios para ela e para o seu bebê. “O DHA, além dos benefícios acima citados, também pode  contribuir na redução do risco de nascimento de crianças prematuras e abaixo do peso”, acrescenta Wanessa.

Suplementação oferece quantidade ideal de ômega 3

Apesar desses benefícios, o consumo do ômega 3 no Brasil, segundo a Associação Brasileira de Nutrologia (Abran), é extremamente baixo. A quantidade de ingestão indicada para gestantes é de 200 mg do nutriente por dia. Porém, um filé de 100 g de salmão criado em cativeiro, que é o tipo consumido no país, apresenta teor inferior a 1,4 g. Logo, a suplementação pode ser necessária para atingir a recomendação da Abran.

Proepa Gesta, do Aché Laboratórios, possui concentração de DHA de 250 mg atendendo assim, a recomendação desse nutriente para as gestantes.

Voltar